domingo, 11 de setembro de 2016

Domingos #2

Acordamos meio que atrasados pois tínhamos coisinhas pra resolver nessa manhã de domingo. Abri os olhos, abracei meu amado, mas levantei rápido demais da cama naquele ímpeto de quem não pode perder mais tempo. Tomei banho e comecei o ritual que é toda vez que vou sair, que demora no mínimo uns 40 minutos, entre escolher uma roupa confortável e me maquiar. Enquanto isso maridão foi tomar seu banho, sempre demorado e irritante. Nesse ritmo conhecido de nós dois, as chances são bem maiores de estarmos prontos ao mesmo tempo, apesar que muitas vezes ainda tenho que esperar a lentidão normal e inerente de Maurinho(e não menos azucrinante mesmo depois de tantos anos).

Resolvemos as coisas todas e voltamos pra casa trazendo aquele calor que essa cidade nos introduz sempre que saímos na rua. Tomamos café e fomos pro nosso ninho aguardar a hora do almoço, enquanto minha mãe se prostrava no fogão já que receberíamos uma visita que nunca deveria ser visita pra nós, enfim. Eu lia qualquer coisa entre Bloglovin, newsletters ou textos salvos no Pocket e Maurinho fuçava no notebook. A visita não visita chegou e o almoço estava caprichado! Como adoro comer bem!

Voltamos pro quarto e continuei lendo meus textos, Maurinho zapeando na tv. Dormi, sempre acho que durmo muito nessas dormidas durante o dia mas Maurinho sempre me diz que eu não durmo nada nessas sonecas. Algumas chegam até a durar 15 minutos e eu juro que dormi por horas. Vai entender. Acordei e ficamos vendo tv até chegar num canal que passava Esposa de Mentirinha (TÃO errado e TÃO gostoso de assistir, sorry not sorry) e demos boas risadas. Depois fomos pra cozinha e preparamos sanduíches, cada um com seu cada qual, fazendo ao próprio gosto. Agora estamos recolhidos no nosso ninho e assim termina mais um domingo sem muita emoção mas que eu amo porque os melhores lugares são pessoas e Maurinho é sempre um lugar e tanto!

Resumo da Semana:
Livro: depois de tantos desgraçamentos por conta de A Arte de Pedir, continuo nessa vibe auto-ajuda não auto-ajuda. Recentemente passei/estou passando por momentos difíceis e tenho gostado de conhecer histórias incríveis e/ou de superação pra ter certeza de que vai ficar tudo bem, sabe. Então catei o livro da Brené Brown, A Coragem de Ser Imperfeito, que a Lys me indicou. Ainda tô muito no início então não tenho muito o que falar mas acredito que vou gostar, vamos ver.
Música: essa vai ser a parte mais difícil porque eu tenho uma relação muito louca com música, só escuto velharia ou alguma banda recém descoberta num looping infinito ou passo muito tempo sem ouvir nada mesmo, que é o caso essa semana, sorry
TV: tenho assistido a reprise de Mulheres de Areia no Viva, e que coisa boa! Claro que tem uns absurdinhos pelo tempo que já se passou mas nada grave como em Laços de Família, por exemplo rs Tô bem atrasada nas minhas séries, não tenho visto nada das que acompanho e tô com um bode de um modo geral com elas, espero voltar logo ao normal.
Filme: catamos Star Trek pra assistir e eu gostei TANTO! Sério, tô muito apaixonada pela amizade entre Kirk e Spock e suas aventuras interplanetárias! Assistimos o segundo filme logo em seguida e vamos ver se dá pra assistir ao terceiro ainda no cinema(se não sair de cartaz antes). Sdds, Anton Yelchin! D:
Comida: a goiaba em conserva, com MUITO creme de leite, que minha mãe trouxe da estrada entre Goiânia e Caldas Novas. Tá acabando e eu não sei mesmo o que vai ser da minha vida sem isso.
Planos: procurar ajuda real pra essa bad vibe que melhorou mas não passou.
Inspiração: pela Tati Lopatiuk, pelos relatos a respeito de como ela enfrentou o câncer.

Links:
O que acontece quando seu filho é chamado de 'gay' na quarta série: porque a gente já devia ter superado esse tipo de coisa mas a humanidade ainda falta a muitas pessoas.
Pare de se importar - e vá viver: eu acho que a Amanda escreveu esse texto pra mim, sabe, porque não é possível ela conseguir definir muitos dos meus momentos de tensão tão perfeitamente. Pra ler sempre que acordar naquela situ deprimente.
Por que é tão importante que pessoas brancas falem sobre racismo?: porque eu acredito que as lutas sociais devem ser basicamente pra agregar todos e que todos devem falar a respeito das minorias sim(e não por elas).
Do que eu falo quando falo da cultura do estupro: esse texto da Anna Vitória já não é recente mas é TÃO maravilhoso que eu precisava vir compartilhar. Anna, que mulher!
Sobre #SetembroAmarelo e atrapalhar quando se quer ajudar: sei o quanto é importante falar a respeito pois já tive problemas com isso e a gente precisa começar a lidar melhor com doenças mentais/comportamentos destrutivos.

Essa leva de posts detalhando os domingos foi ideia original da Isa, e eu aderi porque a gente não deve condenar um dia da semana que pode ser tão especial quanto qualquer outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário