domingo, 7 de agosto de 2016

A Flor e a Náusea

A Flor e a Náusea

Uma flor nasceu na rua!
Passem de longe, bondes, ônibus,
[rio de aço do tráfego.
Uma flor ainda desbotada
ilude a polícia, rompe o asfalto.
Façam completo silêncio, paralisem os negócios,
garanto que uma flor nasceu.
Sua cor não se percebe.
Suas pétalas não se abrem.
Seu nome não está nos livros.
É feia. Mas realmente uma flor.
Sento-me no chão da capital do país às cinco horas da tarde
e lentamente passo a mão nessa forma insegura.
Do lado das montanhas, nuvens maciças avolumam-se.
Pequenos pontos brancos movem-se no mar, galinhas em pânico.
É feia. Mas é uma flor. Furou o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio.


Sou muito sensível às causas ecológicas. Porque a gente tá matando a nossa casa. E me esforço lentamente para fazer minha parte, tentando não massacrar tanto a natureza e seu bem estar. Sei que preciso melhorar muito ainda mas vou seguindo adiante. Quando vi essa parte na Abertura das Olimpíadas Rio 2016 (foi lindo, não foi? ) me emocionei demais. Da autoria de Carlos Drummond de Andrade, nas vozes de Fernanda Montenegro e Judi Dench, eu chorei. Que coisa mais maravilhosa, gente. Vamo melhorar nossa estadia por aqui?

P.S.: Não encontrei esse fragmento da cerimônia no Youtube...desculpe, sou muito noob, mas tem a versão da Judi aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário